quinta-feira, 8 de novembro de 2018

We are ghosts

(We are ghosts amongst these hills
From the trees of velvet green
To the ground beneath our feet)

sexta-feira, 26 de outubro de 2018

Kuerai

Quantas vezes desejei que meu lugar
não fosse aqui
Quantas vezes eu soube que meu lugar
não era aqui
em meus sonhos avisto
o mar de verde
sem-fim

O cheiro úmido
folhas, neblina
angústia emana
de mim
Tão perto,
tão longe daqui
Kilts, castelos, celtas
os rituais e as músicas
cheiros, sabores
dali

Quantas vezes amarrei uma fita
e desejei não ser ordinária
que vida ordinária
a daqui

Acreditei em amor sem-fronteiras
magia branca, verde e negra
no final, tudo igual
mesmo assim

Um sinal, meu senhor
de que tudo não termina
aqui

Brasil, utopia celta
meu continente, um fado
até em suas águas explorado
esgotado
logo mais verá um fim.

Tudo é karma?
destino?
a própria terra é um limbo?
mãe-terra vai embora
sem mim

quero gritá-la
chorá-la
ajoelhar-me
implorá-la
"me leve junto a ti"

Sou osso, carne
e fumaça
alguma energia engraçada
dança dentro de mim

Alguns chamam química
alma, espiríto, influência
devir
essência
xapiri.

Sequer sei daonde vim
porque tenho essa cor
essa maldita "raça"
porque deram a mim?

sei que sou india
nórdica e negra
algumas coisas meus traços dizem
outras sinto em mim.

Sequer sei daonde vim
Brasil tem suas maneiras
de apagar rastros, traços, certezas
as pegadas
de si

sábado, 14 de julho de 2018

He'll never care he'll never care he'll never care hel'll never care hell never care ke hell nevar care care hell never. care. hell never care, hell never care. share. care. hell never never care a fucking care a damn hell never never never never care hell e

sexta-feira, 6 de julho de 2018

Wonk uoy naht noitceffa erom deen I

sexta-feira, 15 de junho de 2018

"Hoje não importa nem teu nome
Insisto em te afirmar
Que essa espera é só uma gota
Que só se faz transbordar

Se eu fosse quem você espera
Juro faria-te um ser
Muito maior do que tu sonhas
Muito mais livre que se possa crer"


quinta-feira, 14 de junho de 2018

the dreams that you did put in my head

um por um
você vai destruí-los

domingo, 10 de junho de 2018

Do tédio

calça bota alta tudo que eu quero é desabar naquele sofá com a almofada na minha cara bem fundo bem fundo beijos, abraços, que bom que cê tá aqui tati, que bom que você veio táta, é ela tá assim, casou e é um milagre a gente ver ela dia de domingo, casou foi, de papel não, ah entendi, mas é isso mesmo. Pai, coloca mais coca aqui, purra, você vai chegar em casa encocada viu, é que eu tô morta de vontade de fumar um cigarro, pede ali pô, eu não, na frente do meu avô não que ele não gosta. Eu ensinei ele a chamar joão de hitler e agora toda vez que ele vê joão ele levanta a mão e fala RAIU RITLE, e eu pensando que graça tem isso meu deus, um puta assassino que chacinou tanta gente, e todo mundo dando risada, e eu morrendo de vontade de enfiar minha cara na grama debaixo da chuva que nem shaman tava fazendo, mas quando ela veio ela me mordeu e eu fiquei chateada porque antes achava que tinha uma conexão com bichos e agra eu não sou nada pra eles, só uma estranha ousada, a quem eles escutam as batidas do coração disparado de nervoso e medo de me machucar. Ela me mordeu, mas não foi nada, Mirav morde mais forte de brincadeira, mas era mentira porque sangrou muito depois que eu fui lavar. Minha avó dizendo, Tainá não discute religião, mas tem muitas dúvidas, que cê tá falando vó, que você não discute religião, mas questiona bastante, e eu sabia que ela já tinha repetido aquele discurso de que contanto que você siga um caminho bom, deus não vai ligar de você não acreditar nele, deus perdoa. As vezes as pessoas seguem o caminho de deus sem saber. E eu levanto de fininho pra ouvir casos de familia, casos dos bichos, casos do futebol, meu pai vai se mudar pra uma sala no escritorio e eu preciso vender minhas coisas, a questão é, será que eu deveria vender mesmo, o que eu faço depois se, depois se. Eu gostava tanto do meu quarto, apesar de não gostar de todo o resto, agora tenho que invadir espaços, me sentir intrusa, não ter espaço nenhum, é tudo compartilhado de novo, não foi por isso que fugi da ultima vez? Meu quarto tinha cama de solteiro. Eu tenho uma coisa com cama de casal, ou ela tem sempre alguém que não diz nada o dia todo ou ela tá sempre vazia, um quarto era branco e vazio enlouquecedor, eu tinha vontade de me jogar nas paredes e manchar tudo de sangue só pra chamar a atenção, outro quarto é colorido e tem pedaços de mim por toda parte, e só o que eu quero é recolhê-los porque dói, nem é mais pra chamar a atenção, eu só já não tenho mais forças, quando me deito me sinto um bicho ferido, grande piada aquele status no whatsapp, grande piada aquela foto. Quando me levanto me sinto um bicho pronto pra rosnar e morder e eu rosno e eu mordo e eu deito de novo. Geralmente esses bichos morrem. Sujos, com sarnas e pulgas. Eu preciso tomar banho, mas vou deitar a cabeça aqui na mesa primeiro.

sábado, 9 de junho de 2018

Myosotis

Dia sim. Dia não, dia não, dia sim. Dia sim, dia não. Dia sim, dia sim, dia não, dia não. Em breve, veja: dia não, dia não, dia não, não e não.

segunda-feira, 4 de junho de 2018

Caminho subterrâneo

Aquela coisa mecânica toda deslizando que nem uma serpente e todo mundo se matando 7 horas da manhã pra passar pela porta, pra sentar a bunda 10 15 minutos no arzinho domesticado.Os seus cabelos negros E eu só pensando meu deus quando isso vai parar, cacheados quando essa loucura na minha vida vai acabar de uma vez por todas, esse negócio de virar noite, você não mudou de posição a noite toda esse negócio de morrer de ansiedade por causa de um e depois por causa de outro, a luz do sol invadiu o quarto e você essa coisa gelada correndo no meu corpo todo, no meu pulso, nos meus dedos. Os meus dentes no seu pescoço Essa falta de tato minha com as pessoas, essa mania de ficar gastando dinheiro com comida só pra não ter que comer a comida de casa, a sua língua no meu colo pensando sempre que vai ser muito melhor, tudo vai ser sempre muito melhor fora de casa mas não é, nunca é. O sol em vez de despertar pesa nas costas, lapeia a pele, vira carrasco. dor prazer dor prazer O silêncio do quarto me incomoda, o seu gemido quando te toquei a rua não tem silêncio, a sala de aula não tem silêncio,  a respiração pesada e nenhum outro ruído no quarto o silêncio do metrô incomoda mas na verdade o que incomoda mesmo é essa coisa aqui dentro, essa porcaria que não sabe se fica feliz ou se morre de uma vez na cama, essa bipolaridade doentia, animação e letargia, você junta as duas e isso vira só insônia, nada que preste. o seu gosto O gostosinho é quando você senta na praça esperando alguma coisa acontecer, começa a chover e parece um sonho, as coisas flutuam, ficam meio borradas. o seu beijo Parece até que a morte tá levando a gente devagarzinho você me penetra e devagarzinho a gente fecha os olhos e acorda num susto. Eu E cuidado estou pra não pisar no vão viva entre o trem e a plataforma.

quinta-feira, 10 de maio de 2018

But break my heart, - for I must hold my tongue!